27 de nov de 2012

TA: Ela mentia, ela vivia

Textos Aleatórios. Que eu escrevo quando dá vontade, quando tem impulso, quando não dá para controlar e saio correndo em busca de papel e alguma coisa para escrever. Inspirado em pessoas que eu conheço, em desconhecidos e às vezes em mim. São textos de momento. Talvez eles caibam no seu momento também. 

  Acorda de manhã, toma café e vai tomar banho. Gosta de sair mais cedo da cama para ter mais tempo de se arrumar. Ela deixa o cabelo secar naturalmente porque acha que fica melhor assim. Se maquia, coloca as roupas escolhidas na noite anterior e começa a escolher as mentiras que vai vestir hoje.
 Pensava em cada movimento que faria e nas palavras que ia dizer, não sabia seguir seu coração. Não existia verdade nos seus olhos. Sorria apenas quando necessário. Ela era egoísta, só pensava em quanto aquele ato ia lhe favorecer, em quanto ela poderia ganhar com isso. As pessoas eram degraus, ela queria subir.
 Tinha uma vida profissional boa, correu atrás do que queria, da única vontade dela que saía do coração. Ela também vivia saindo em colunas sociais de revistas, rodeada de glamour, de amigas bonitas, de sorrisos para foto. Volta e meia aparecia com namorado novo, mas não durava muito.
 Chega em casa, tira os sapatos e sente a felicidade em aliviar os pés. Toma um banho, come alguma coisa e sente saudade. Ela era cantora e naquela noite cantou sobre o amor para mais de 200 pessoas. Duzentas pessoas que que tinham alguém naquela noite. Sentia vontade de ligar, não tinha ninguém. Nenhum dos 97 contatos no seu celular, nenhum dos 17 colegas do tempo de escola e nenhum dos seus 5 ex-namorados. Queria mudar, mas deixava sempre para mais tarde, para depois.
 Deixou isso de lado, escolheu as roupas que vai usar no dia seguinte e se deitou junto com a solidão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário