3 de fev de 2012

Dez anos



  Hoje fazem exatamente 10 anos que eu conheço a Jessica. E que somos amigas também. Fazem 10 anos (e alguns meses) que sou amiga da Karen e da Bianca também. É, minha gente. O tempo voa!
 Queria deixar registrado em algum lugar o quanto elas representam na minha vida, cada uma delas. Quero gritar pro mundo o quanto elas são importantes.

 Vamos por ordem alfabética.

 Bianca. Mas eu chamo de Bi. Desde pequena com um gênio forte, teimosa, nem sempre sabe bem o que quer, mas quando sabe, tem certeza de que é aquilo mesmo o que escolheu. Quem não te conhece direito, se assusta com seu jeito "delicado" de ser. (Quem te conhece se assusta também haha) Mas tem seu lado dócil, meigo e carinhoso.
 Ela é uma sonhadora! E a gente às vezes sonha junto. Viaja nos sonhos, nos planos pro futuro. A gente já achou que amava alguém, e que isso ia ser pra sempre. E achou também que ia dar certo. Mas não foi bem assim. Não deu certo e também não foi pra sempre.
 Somos corações de manteiga. A gente chora, sempre chora. Quando alguém vai embora, quando alguma coisa dá errado, quando a gente acha que nosso mundo vai desabar. Enfim, a gente chora.
 Uma vez você foi embora, foi pra longe. A gente chorou (não falei que a gente chorava?), foi bem difícil, mas você contou comigo, a distância não separou a gente! Mandávamos emails, conversávamos no msn. Assim como tem que ser! Dividíamos aquilo que era pesado demais pra gente. Aí você voltou.
 Eu odeio quando você é teimosa demais. Mas amo a sua força de vontade e adoro a maneira como você não liga para o que os outros falam ou pensam sobre você. É sempre bom ter ataques de riso com você. A gente sabe que pra uma foto ficar engraçada, é só dar zoom na minha cara.
 Se fosse pra eu dar uma coisa pra você, eu daria paciência.


Jessica. Mas eu chamo de Jé. Desde pequena já era inteligente e um pouco mais adulta que todo mundo. Sempre cativou as pessoas, é impossível não amar essa menina! Ela é criativa, escreve bem e é uma fofa!
 A gente pode não andar sempre junto, mas a gente sempre está lá uma para a outra. Ela é um abraço que falta, um conselho que a gente precisa ouvir, uma certeza boa de se ter.
 Nós temos uma ligação engraçada de se explicar. Cantamos musicas horríveis, sabemos cantar essas músicas horríveis. Somos engraçadas mesmo não tendo pinto (não tente entender).
 Acompanhou e participou de decisões importantes que tomei. Me ligou só pra contar que aconteceu um negócio. E agora que esse negócio aconteceu? O que esse negócio significa? Ai Jé, você e seus negócios...
 Nós temos nossas crises, nossas paranóias, nossos devaneios, nossas histórias!






Karen. Mas eu chamo de Ká. Quando pequena, era mais quietinha, chorava por não querer tirar foto com todo mundo, contrariava todo mundo, sempre escolheu azul quando todo mundo quis rosa.
 Agora tá bem diferente. Cresceu, tá mais madura, deixou de ser menininha e agora é mulher! Se arruma mais, se cuida mais e se gosta mais.
 Quando eu cheguei já estava aqui. Sempre esteve aqui. Esteve comigo durante todo esse tempo. eu lembro que antes ela não era muito emotiva. Guardava o que sentia lá no fundo, e não dividia com ninguém. Mas isso também mudou! Aprendeu a falar o que sentia, a chorar quando alguém vai embora, aprendeu a sentir o que antes não sentia.
  A gente já teve fases mais distantes, mas agora estamos bem unidas. A Ká é uma pessoa incrível! É educada, até demais, tem horas que dá vontade de dizer: Tá proibido usar o termo "senhora" a partir de agora. É meiga, é sincera, é chata quando tem que ser e desenha super bem.

  Eu sou muito grata por ter vocês na minha vida. Por ter crescido com vocês. A gente sabe que é difícil ter alguma coisa a longo prazo com essa loucura que é viver no Japão. A gente conhece alguém, essa pessoa se torna importante e quando você menos espera, ela está voltando pro Brasil. Bem, não sei se posso chamar de sorte isso que fez a gente permanecer por perto, mas sou grata. É bom ter algumas certezas no meio de tanta coisa provisória.
 Esse ano é diferente, né? Todos vamos pra algum lugar. A gente vai realmente se separar. E não é só durante as férias, dessa vez a saudade vai ser a longo prazo. E eu estou sentindo saudades desde já. Porque uma de nós está já indo embora. Não que isso seja triste, pelo contrário! Vai ser bom, ela vai crescer, conhecer gente nova, vai começar a caminhar em busca do que quer, vai descobrir o que realmente quer. Vai ser bom.
Só de pensar já dá um nó na garganta, um aperto no coração. Mas eu juro que vou tentar chorar pouco. Tá, não dá. Confesso que rolaram umas lágrimas escrevendo o texto. Mas não é tristeza. É um pouco de medo, tristeza e alegria junto. Nós crescemos. Nossos caminhos vão ser diferentes daqui pra frente. Mas a gente sempre vai se achar por aí.
 Não vai ser distância e nem tempo que vão tirar vocês da minha vida. Vocês estarão sempre comigo, nas minhas melhores lembranças, nas histórias que eu tenho pra contar.
 Sabe, agora eu entendo esse sentimento de amigo de infância. É gente que te conhece melhor do que você, que cresceu junto e que vão estar de uma maneira ou de outra, sempre presente na vida da gente.
  Obrigada por tudo o que vocês fizeram, por tudo o que vocês representam, obrigada por serem parte da minha vida e de quem eu sou hoje.

   Eu amo vocês, vocês são meu porto seguro!

1 de fev de 2012

(Ainda) Somos os filhos da revolução

  Assim como temos a certeza de que em um almoço em família haverá a piada do pavê, no começo do ano nós já temos uma certeza: Junto com a chegada do carnaval, chegam também os novos hits do verão.
  Músicas com ritmos alegres, refrãos cheios de palavras repetidas que são ditas no mínimo 5 vezes seguidas, coreografia fácil e que tocam em todos os lugares. A receita do sucesso é simples: Letras com apelo sexual e ordens como: "Bota a mão na cabeça, bota a mão na cintura, bota a mão no joelho".
  Atualmente vem surgindo algo que podemos chamar de "hits da balada". Eles possuem o mesmo formato que os hits de verão convencionais, o apelo sexual, são repetitivos, tem coreografia fácil e tocam em todos os lugares. O trio elétrico foi substituído pela "night".
  Um exemplo dos grandes hits de balada atuais é "Ai se eu te pego", de Michel Teló, que teve seu disco gravado pela Som Livre, o que explica sua grande divulgação pela Rede Globo, e recentemente, o jogador de futebol Cristiano Ronaldo, que joga pelo Real Madrid, fez a coreografia de "Ai se eu te pego" durante a comemoração de um gol, isso fez com que a música fosse divulgada para fora do Brasil, ganhando assim uma versão em inglês.
  Assim, a geração de Cazuza, Legião Urbana, RPM, Titãs, Paralamas do Sucesso e Capital Inicial se perguntam: "Onde estão os jovens que querem revolucionar a arte?". A resposta é que a revolução não vai estar nas baladas, na cultura de massa, na jogada de marketing. O Sistema não ganha dinheiro com arte feita contra ele, e sonhos revolucionários não circulam entre doses de tequila acompanhadas por música alta com letras que dizem: "Vai descendo até o chão".
  Os jovens artistas revolucionários estão fazendo shows em bares, ensaiam em garagens, são divulgados pelos amigos e por gente que conheceu e agora gosta do seu trabalho. O jovem nunca vai deixar de ter a sua criatividade que pulsa, sua força e sua vontade de mudar. Existe um grupo de novos artistas brasileiros que fazem música porque gostam, que veem a profissão como sonho e não apenas como um método de ganhar dinheiro. Como não há a divulgação em massa desses artistas, o reconhecimento pelo seu trabalho é mais lento, mas por sua vez é bem mais forte.
  São bandas e artistas como Filipe Catto, Tiê, Tiago Iorc, A banda mais bonita da cidade, Móveis Coloniais de Acaju, Tópaz, Tulipa Ruiz, Rancore e Macaco Bong.
  Os hits de verão, ficam nos verões que se passam, os hits de balada caem no esquecimento e logo são substituídos por outra música repetitiva, fácil, de ritmo forte e significado fraco. Música de verdade é aquela que te envolve e não aquela que te invade.

   Agora vou falar um pouco de cada um dos artistas e bandas que citei (os links para o site oficial estão no nome do artista/banda!):

Filipe Catto

"Com a liberdade dos artistas de seu tempo - que hoje tem o privilégio de fazer música por amor a arte e não para atender as demandas do mercado, Filipe canta a sua verdade, e é esse o mundo que queremos conhecer. Uma Saga que, na verdade, está só começando."



Filipe Catto coloca paixão nas músicas dele, que são de própria composição, parece colocar corpo e alma quando canta. Ficou bastante conhecido depois de ter sua música na trilha sonora de Cordel Encantado. Conheci sua música no programa Altas Horas e fiquei encantada com a força de sua voz e de sua letra! 



Mas, de repente, uma farpa meio intrusa
Veio cegar minha emoção de suspirar
Se eu soubesse que o amor é coisa assim
Não pegava, não bebia, não deixava embebedar


Tiê
"Tiê é neta de Vida Alves, atriz que protagonizou o primeiro beijo da TV brasileira, na também primeira novela nacional de TV. A cantora cursou Relações Públicas na FAAP, estudou canto em Nova Iorque e foi dona de um brechó/ restaurante em São Paulo. Foi no Café Brechó que Tiê conheceu duas figuras importantes para sua carreira na música: Dudu Tsuda e o compositor Toquinho, com quem a cantora gravou sua primeira música e viajou por todo o Brasil e Europa em turnê antes de lançar seus álbuns."



Tiê tem uma voz calma, tranquila, suas músicas são suaves, daquelas que combinam com um dia de chuva ou com um dia ensolarado de céu azul! São músicas que te deixam de coração tranquilo. Conheci suas músicas pelos vídeos relacionados do youtube. A primeira música que ouvi foi "Dois" e foi paixão à primeira vista! 



O certo e o incerto, a gente vai saber.

Tiago Iorc

"Nascido no Brasil, mudou-se para a Inglaterra com apenas dez meses de idade, vivendo lá por quatro anos. Ao retornar ao Brasil, estudou guitarra, piano violão. Morou por vários anos em Passo Fundo,Rio Grande do Sul, pouco mais de um ano e meio nos Estados Unidos e em Curitiba, Paraná. Atualmente vive no Rio de Janeiro."







Tiago Iorc, apesar de ser brasileiro, compõe suas músicas em inglês. Ganhou destaque quando uma música de sua composição (Nothing but a song) fez parte da trilha sonora de Malhação. Ele tem uma voz gostosa de se escutar e suas letras possuem simplicidade e beleza incríveis! Conheci suas músicas através de um amigo muito querido. 




You spend most time
Trying to figure out why you can never figure out
Just what you're trying to figure out
Spend more time living





"A Banda Mais Bonita da Cidade é composta por cinco músicos\artistas\criadores que a partir da obra de compositores curitibanos colocam em prática suas construções, desconstrução e reconstrução de arranjos, climas, texturas e histórias."




 Eu (e grande parte da internet) conheci a banda através do clipe de oração. Gostei do ritmo e da letra que é toda meiga e simples. Depois fui atrás de mais músicas e gostei mais ainda! Afinal, banda é de Curitiba (e eu também!), a vocalista Uyara é toda estilosa e a banda tem músicas que vão desde as mais tristes até as que dão vontade de dançar e cantar junto.


Dançava a bailarina torta
Dançava até o sol se pôr
Dançava a bailarina torta
Dançava à procura de um amor


"Em 1998 a banda Móveis Coloniais de Acaju surgiu com ideais que se confundem a outras bandas. Um grupo de jovens amigos que buscavam uma sonoridade singular, diversão e, quem sabe, o sucesso. Mal sabiam, naquele momento, que estavam a iniciar um dos mais ambiciosos e interessantes projetos musicais que o Brasil abrigaria."

Conheci Móveis Colonias de Acaju por indicação também! É uma das minhas favoritas! Tem alguma coisa neles que lembra Los Hermanos! O ritmo é contagiante e dá vontade de cantar e dançar pela casa. O que mais me chama a atenção, é que eles fogem do convencional. 


As quatro estrelas do meu céu são suas
E os oito postes da avenida são meus
E se você quisesse todos eles te dava
Lembra, minha luz, foi você quem me deu


Tópaz

O vídeo a seguir contém tudo o que eu quero falar sobre a Tópaz!

 Conheci a banda por indicação e gostei logo de cara! Gostei da música, claro, mas gostei muito mais da atitude deles, dos seus objetivos. Dá pra fazer download do CD deles no site oficial. E vocês não vão se arrepender! 


E por mais que todos digam
que ele não vai alcançar.
Ele tampa seus ouvidos
e não pára de arriscar.


"Cantora, compositora e desenhista.
Interessa-se por gravações em campo, texturas, ruídos, bordados e cantigas de ninar."













  Tulipa Ruiz já começa sendo adorável porque tem nome de flor. Escreve, canta e desenha suas músicas. Suas músicas são mais calmas, com cara de final de tarde no sofá! Tardes de bom livro e xícara de chá. Conheci suas músicas por indicação também. 


Em cada passo que eu dava nessa dança
Ia perdendo a esperança
Você sacou a minha esquizofrenia
E maneirou na condução


"Rancore é forte e ascendente e está dentro da cena musical brasileira desde 2002. Em seus próprios eventos ou apresentacões memoráveis nos festivais mais importantes do país, a banda sempre leva shows vigorosos e empolgantes ao seu público, formado por seguidores fiéis que chegam a tatuar seu símbolo no corpo e na alma."




  Entre as bandas citadas até agora, Rancore é a que possui o ritmo mais pesado, mais rock que os outros. A voz de Teco Martins lembra a voz de Cazuza! Suas letras não são fúteis, são cheias de sentimento e significado. Vale a pena manter a esperança no rock nacional! E eles não tem um tipo só de música, seu estilo segue uma linha, mas os ritmos variam em algumas das músicas. Conheci por recomendação de outro amigo querido! 


Essa vai pra mulher
que iluminou os meus caminhos e sonhos
amenizando toda essa loucura

"Baseado na desconstrução dos arranjos da música popular em seus formatos convencionais e aliada à linguagem das harmonias tradicionais da música brasileira com jazz/fusion/pop e etc, o Macaco Bong busca nunca concretizar rótulos relativos às variedades nas vertentes dos gêneros musicais em suas composições. Tudo isso aplicado tanto na estética quanto no conteúdo do rock’n’roll."







 Música muito bem feita! Daquelas que dá gosto de escutar. As músicas tem em torno de 5 à 10 minutos ou até mais! São boas pra escutar durante a viagem, pra pensar na vida, usar como trilha sonora do dia, ou apenas pra se sentir bem. Porque quando a gente escuta música boa (considerando que "boa" pode variar no gosto de cada um) ficamos com a alma mais leve, mais calma. A música fala por ela mesma! A banda tem ritmos mais pesados aos mais suaves. Foi indicação do mesmo amigo querido que indicou Rancore! 


"vam pára porra nenhuma!" hahaha

Bom, essas são as dicas musicais. Que vão do rock até aquelas músicas com cara e gostinho de mpb. O interessante é perceber que em muitos dos sites oficiais, há link para o download, seja do álbum ou do single. Isso mostra que esses artistas querem divulgar a sua arte! Querem cantar, fazer shows, querem ser artistas! Isso é o que mais me encanta! 

 Então, aqui fica o meu pedido: Não vamos generalizar, ou perder a fé na música brasileira só por causa dessas músicas sem sentido, repetitivas e que nos assustam com o tanto de vulgaridade (e sucesso). Ainda tem muita coisa boa! Caso gostem de alguma música, divulguem aos amigos! Assim você ajuda a banda a crescer e compartilhar coisas boas é sempre bom, né?