30 de nov de 2012

Hoje à noite não tem Natal

 Hoje, dia 1 de Dezembro de 2012, faz exatamente um ano que estou trabalhando. Não trabalhando, mas fazendo baito (ou abrasileirando os fatos: fazendo bico). Pode parecer coisa pequena, mas eu estou orgulhosa de mim. Não me sinto completa, lógico, mas me sinto feliz!

 O começo foi difícil. Decidi que eu precisava trabalhar lá por Março de 2011, porque 2012 seria meu último ano, ia ter formatura, viagem para Okinawa e duas apostilas por bimestre para pagar. Decidi que seria bom tanto financeiramente como uma boa experiência na vida. Então eu comecei a procurar.

 Como eu estou no Japão, se eu fosse procurar um baito, decidi que ia ser em algum lugar japonês, não em lojas brasileiras (para melhorar mais uma língua, nada melhor do que usar ela, certo?). Comecei a procurar nos classificados, porque lá tem uma parte só de empregos voltados para estudantes do ensino médio. Primeiro liguei para onde a maioria das pessoas que estudam-trabalham ligam: Mc Donalds. E não deu certo, disseram que já tinham muitos estrangeiros lá...eu não devia ter ligado, eu devia ter ido lá direto (ficou aí o aprendizado para a próxima). Tentei no Saizeriya, liguei, marcaram entrevista, fui lá, disseram que iam ligar em três dias caso eu fosse contratada. E não ligaram.

 Depois liguei para uma creperia, o homem que atendeu perguntou se eu era de outro país (ainda não consegui tirar totalmente o meu sotaque na hora de falar), falei que sim, ele deu uma desculpa esfarrapadíssima dizendo que lá não aceitavam estrangeiros por causa da maneira que eles falam...SENDO QUE eu estava falando o japonês mais formal possível no telefone. Okay, não deu. Xinguei e bati nele (na minha cabeça, claro).

 Quando você é recusada duas vezes por ser estrangeira (algo que não dá para "arrumar"), e depois de passar por uma entrevista e não te ligarem depois, desanima um pouco...Mas aí restou um pouquinho de esperança. Fui na pizzaria que existe há um bom tempo aqui perto de casa e que eu nunca tinha percebido a existência até começar a procurar freneticamente por placas de "procura-se ajudantes". Liguei, e consegui marcar uma entrevista. Fui lá, fui contratada e faz um ano que estou com as pizzas.

 Os primeiros dias foram difíceis. Brigaram comigo por causa do meu sotaque e do meu jeito de falar. Mas assim, eu sou brasileira e não falo japonês a toda hora, eu TENHO sotaque. Mas eles não entenderiam isso.  Então eu aprendi. Chorei, fiquei triste, mas me esforcei e vi que melhorei muito no quesito sotaque.

 Claro que eu pensei em desistir, em jogar tudo pro alto e falar que não queria mais. Mas aí eu tinha que pagar a viagem de formatura, e tinha um objetivo maior: juntar dinheiro para não passar apertada a passagem de Japão-Brasil, eu quero fazer teatro e vou sustentar meu sonho! No final das contas eu paguei a minha viagem para Okinawa, paguei quase todas as apostilas desse ano, e não pedi mais dinheiro para os meus pais. Ganhei uma independência financeira ENORME e só tinha 16 anos (fiz 17 em Agosto). Mas acabei não juntando muito. (Fica aí a dica: JUNTE. Nem que for pouco.)

 Quando eu acordo sem vontade de ir trabalhar, ou quando estou cansada e tenho que ir, eu finjo que aquilo é uma peça. Que eu tenho que fingir ser uma atendente de uma pizzaria. Que é um papel necessário para chegar ao palco. Um ensaio :')


Queria agradecer todo mundo que me ajudou e me ouvir reclamar. Ia ser três vezes mais difícil se eu não tivesse meus amigos! E dizer que eu eu acho mágica a maneira como a gente consegue tirar força de onde não tem, quando pensamos na família e nos sonhos!


 Meu lugar não é lá, eu não amo o que faço (ainda!!). Mas eu não posso parar de sonhar grande e ir tentando. E eu não vou parar aqui.

 Se for preciso eu vou ter dois empregos. Um que sustente meu corpo e outro para eu alimentar a alma.

          Se você leu até aqui, obrigada! Um abraço apertado e se cuide =)

5 comentários:

  1. Olá, Tayná! Que texto incrível.
    Eu não sei bem por onde começar e o que comentar...
    Creio que este foi o seu melhor texto que eu já li. Um texto motivador, de uma pessoa esforçada e focada nos objetivos pessoais. Aqui mostra uma situação comum no Japão entre muitos brasileiros, mas você me surpreendeu. É m texto que me animou também a acreditar e batalhar pelos meus sonhos. Afinal, o seu sonho e o meu são quase semelhantes, e é por isso que adorei a parte em que você escreveu que atua indo para o trabalho fingindo ser uma atendente. Me fez pensar nos trabalhos que já fiz e vou fazer, em que, naquelas horas realmente bate uma preguiça e o jeito é pensar no melhor que está por vir. E vai!
    Parabéns, Tay, pelo seu esforço. Batalhe mesmo. O melhor, além dos seus amigos (inclusive eu) acreditar em você, é você acreditar em si mesmo e ver que tem potencial pra chegar lá. E quando chegar lá, procure um novo sonho.
    Obrigado por compartilhar este lindo texto.
    Abraço.
    -Gust.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada (mais uma vez) pelo comentário!
      Fiquei muito feliz em saber que eu consegui levar motivação para as pessoas! Afinal, esse é um dos meus objetivos ao escrever um texto =)
      A parte mais difícil é quando te bate aquela vontade de largar tudo, quando te dá preguiça mesmo...mas é como você falou: tem que pensar no melhor que está por vir!
      E tem muita coisa incrível para acontecer, não dá pra desistir agora!

      Obrigada pelo apoio <3

      Excluir
  2. Eu estando aqui no br não sabia de tudo isso que vc passou,eu sabia vagamente que vc estava trabalhando,pq qdo eu falava que vc nao aparecia muito no twitter ou skype pra gente conversar,vc falou que estava cansada do trabalho e nem daria,ESSE era meu conhecimento sobre vc estar trabalhando!!! Desculpa se eu fiquei te enchi alguma vez falando que vc estava sumida ou qualquer coisa,eu nao sabia que vc estava passando por isso )=

    Agora me explique o título do texto!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meniino, fiquei feliz com você por aqui!
      Imagina, não precisa pedir desculpa! Tinha hora que ficava cheia de coisa pra fazer, ou que eu estava cansada mesmo...

      Explicando o título do texto: Eu estava com a música "Hoje a noite não tem luar" e quando fui escrever o texto, deu nisso. É que aqui as pessoas trabalham no Natal, e como eu comecei a trabalhar em Dezembro, tive que trabalhar no Natal até tarde porque teve bastante pedido. E aquela noite não teve Natal.

      Excluir
    2. É eu lembro disso,Lembro que tinha natal que meus pais trabalhavam,e a gente só "comemorava" de noite,eu ficava em casa sozinho lutando contra mim mesmo pra não abrir os presentes...no começo,depois fui acostumando e fiquei com o pensamento tipo,FODA-SE O NATAL,ai vim pra cá,e vi que o natal daqui é muito daora,todos os parentes vem e tem comida por uns 3 dias seguido,cara,como é bom ser gordo =)já não digo o mesmo do ano novo...pff

      Eu não elogiei que o texto ficou bom né?!pois é,ficou bom sim,deMAIS,justamente pelo que o gustavo disse,vc motivou a quem leu a ficar mais confiante!

      Parabens e como VOCE já me disse uma vez,volte a escrever!!!

      Excluir