3 de fev de 2012

Dez anos



  Hoje fazem exatamente 10 anos que eu conheço a Jessica. E que somos amigas também. Fazem 10 anos (e alguns meses) que sou amiga da Karen e da Bianca também. É, minha gente. O tempo voa!
 Queria deixar registrado em algum lugar o quanto elas representam na minha vida, cada uma delas. Quero gritar pro mundo o quanto elas são importantes.

 Vamos por ordem alfabética.

 Bianca. Mas eu chamo de Bi. Desde pequena com um gênio forte, teimosa, nem sempre sabe bem o que quer, mas quando sabe, tem certeza de que é aquilo mesmo o que escolheu. Quem não te conhece direito, se assusta com seu jeito "delicado" de ser. (Quem te conhece se assusta também haha) Mas tem seu lado dócil, meigo e carinhoso.
 Ela é uma sonhadora! E a gente às vezes sonha junto. Viaja nos sonhos, nos planos pro futuro. A gente já achou que amava alguém, e que isso ia ser pra sempre. E achou também que ia dar certo. Mas não foi bem assim. Não deu certo e também não foi pra sempre.
 Somos corações de manteiga. A gente chora, sempre chora. Quando alguém vai embora, quando alguma coisa dá errado, quando a gente acha que nosso mundo vai desabar. Enfim, a gente chora.
 Uma vez você foi embora, foi pra longe. A gente chorou (não falei que a gente chorava?), foi bem difícil, mas você contou comigo, a distância não separou a gente! Mandávamos emails, conversávamos no msn. Assim como tem que ser! Dividíamos aquilo que era pesado demais pra gente. Aí você voltou.
 Eu odeio quando você é teimosa demais. Mas amo a sua força de vontade e adoro a maneira como você não liga para o que os outros falam ou pensam sobre você. É sempre bom ter ataques de riso com você. A gente sabe que pra uma foto ficar engraçada, é só dar zoom na minha cara.
 Se fosse pra eu dar uma coisa pra você, eu daria paciência.


Jessica. Mas eu chamo de Jé. Desde pequena já era inteligente e um pouco mais adulta que todo mundo. Sempre cativou as pessoas, é impossível não amar essa menina! Ela é criativa, escreve bem e é uma fofa!
 A gente pode não andar sempre junto, mas a gente sempre está lá uma para a outra. Ela é um abraço que falta, um conselho que a gente precisa ouvir, uma certeza boa de se ter.
 Nós temos uma ligação engraçada de se explicar. Cantamos musicas horríveis, sabemos cantar essas músicas horríveis. Somos engraçadas mesmo não tendo pinto (não tente entender).
 Acompanhou e participou de decisões importantes que tomei. Me ligou só pra contar que aconteceu um negócio. E agora que esse negócio aconteceu? O que esse negócio significa? Ai Jé, você e seus negócios...
 Nós temos nossas crises, nossas paranóias, nossos devaneios, nossas histórias!






Karen. Mas eu chamo de Ká. Quando pequena, era mais quietinha, chorava por não querer tirar foto com todo mundo, contrariava todo mundo, sempre escolheu azul quando todo mundo quis rosa.
 Agora tá bem diferente. Cresceu, tá mais madura, deixou de ser menininha e agora é mulher! Se arruma mais, se cuida mais e se gosta mais.
 Quando eu cheguei já estava aqui. Sempre esteve aqui. Esteve comigo durante todo esse tempo. eu lembro que antes ela não era muito emotiva. Guardava o que sentia lá no fundo, e não dividia com ninguém. Mas isso também mudou! Aprendeu a falar o que sentia, a chorar quando alguém vai embora, aprendeu a sentir o que antes não sentia.
  A gente já teve fases mais distantes, mas agora estamos bem unidas. A Ká é uma pessoa incrível! É educada, até demais, tem horas que dá vontade de dizer: Tá proibido usar o termo "senhora" a partir de agora. É meiga, é sincera, é chata quando tem que ser e desenha super bem.

  Eu sou muito grata por ter vocês na minha vida. Por ter crescido com vocês. A gente sabe que é difícil ter alguma coisa a longo prazo com essa loucura que é viver no Japão. A gente conhece alguém, essa pessoa se torna importante e quando você menos espera, ela está voltando pro Brasil. Bem, não sei se posso chamar de sorte isso que fez a gente permanecer por perto, mas sou grata. É bom ter algumas certezas no meio de tanta coisa provisória.
 Esse ano é diferente, né? Todos vamos pra algum lugar. A gente vai realmente se separar. E não é só durante as férias, dessa vez a saudade vai ser a longo prazo. E eu estou sentindo saudades desde já. Porque uma de nós está já indo embora. Não que isso seja triste, pelo contrário! Vai ser bom, ela vai crescer, conhecer gente nova, vai começar a caminhar em busca do que quer, vai descobrir o que realmente quer. Vai ser bom.
Só de pensar já dá um nó na garganta, um aperto no coração. Mas eu juro que vou tentar chorar pouco. Tá, não dá. Confesso que rolaram umas lágrimas escrevendo o texto. Mas não é tristeza. É um pouco de medo, tristeza e alegria junto. Nós crescemos. Nossos caminhos vão ser diferentes daqui pra frente. Mas a gente sempre vai se achar por aí.
 Não vai ser distância e nem tempo que vão tirar vocês da minha vida. Vocês estarão sempre comigo, nas minhas melhores lembranças, nas histórias que eu tenho pra contar.
 Sabe, agora eu entendo esse sentimento de amigo de infância. É gente que te conhece melhor do que você, que cresceu junto e que vão estar de uma maneira ou de outra, sempre presente na vida da gente.
  Obrigada por tudo o que vocês fizeram, por tudo o que vocês representam, obrigada por serem parte da minha vida e de quem eu sou hoje.

   Eu amo vocês, vocês são meu porto seguro!

3 comentários:

  1. awn *-* lindassssssssssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Poxa, me comovi aqui ç_ç que lindo isso tudo meu HAHA'ç_ç

    ResponderExcluir