23 de jun de 2013

TA: Vinte e três de Junho de Dois mil e cinquenta e seis

Textos Aleatórios. Que eu escrevo quando dá vontade, quando tem impulso, quando não dá para controlar e saio correndo em busca de papel e alguma coisa para escrever. Inspirado em pessoas que eu conheço, em desconhecidos e às vezes em mim. São textos de momento. Talvez eles caibam no seu momento também.

  Aquele menino, sempre tem alguém. Sou do tipo de gente que vive de coração ocupado. Tenho 23 anos e tenho 13 anos de coração ocupado. Já jurei não gostar nunca mais de ninguém, nem que fosse o último cara perfumado da Terra. Mas quem disse que dá pra mandar nessas coisas? NÃO DÁ. Mas olha só que agonia.

  Estou aqui escrevendo em um diário, de papel mesmo, e escrevendo com caneta. Minha vó que me deu, hoje em dia é tão difícil de achar uma! Diz ela que guardou desde os tempos de quando ela tinha 20 anos, em 2013. Diz ela que aqueles eram os bons tempos. Ainda existiam celulares com teclas!! A obesidade era grande mas não tanta, algumas pessoas ainda tinham hortas em casa e foi naquele ano que milhares de brasileiros saíram nas ruas para protestar. Diz ela que é por isso que hoje nós conseguimos muitas coisas. O aborto era ilegal naquele tempo, imagine só!

 Foi lá que as pessoas começaram a compartilhar sua vida, e ainda se faziam de assustadas quando conversavam com alguém e a pessoa já sabia de tudo. Muitas das conversas eram "Cortei meu cabelo, achei que ficou bom" "Pois é, vi no seu Facebook", "Fiz uma tatuagem" "Eu vi no instagram.", "Acho que estou apaixonada" "Dá pra perceber pelos teus tweets".

 Mas eu não estava falando disso. Ia escrever aqui sobre hoje, sobre o que me aconteceu.

 Cheguei em casa, passei o dia todo pensando naquela pessoa. Deveria ligar? Hmm talvez não. Conversamos aquele dia, poderíamos fazer um belo par. Perguntei para a Pri, minha amiga do escritório, ela disse que conhecia um site onde você escrevia seu perfil e ele automaticamente procurava um perfil compatível ao seu. Descartei, disse que preferia a emoção de achar um amor sem querer. Sou viciada na sensação que mistura angústia e felicidade escondida.

 Essa dúvida é que é incrível. A gente pode deixar pra lá, mas não quer. Quer conhecer o mundo do outro, quer mostrar o mundo que você construiu com todo esforço, com todas as guerras que teve para conseguir a paz interior tão desejada, quer juntar esses dois mundos. E tudo isso pode depender de um "oi", de uma informação que você pede, de um convite que você faz, uma pessoa que você adiciona sem querer em alguma rede social, de uma ligação!!

 De qualquer maneira. Cheguei em casa, me joguei com bolsa e tudo no sofá. Chequei meus emails, levantei e fui até a cozinha para pegar uma água.

 Acho que deveria ligar para ele, pensei. Aí pronto. "Ligando para Aquela Pessoa" disse o comando de voz, em resposta ao meu pensamento.

 Maldita tecnologia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário